domingo, 18 de julho de 2010

Quando criança eu acreditava, que o mundo era grande demais, que meu aniversário era o dia mais feliz, que a vida era eterna, que os sonhos eram para sempre, que meus brinquedos eram meus melhores amigos, que beijo na boca era nojento, que dias de chuvas os braços dos meus pais eram a única coisa que tirava meu medo, que tudo era tão engraçado, que tudo era tão difícil, que estudar era tão chato, por que não posso brincar para sempre? Que a lua devia ser o melhor lugar para se viver que astronautas eram mais felizes que balas e doces deveriam ser almoço, que correr era a única forma de me livrar das reclamações, que se eu fugisse de casa resolveria os problemas, que ninguém gostava de mim, se gostasse faria o que eu quisesse. Que evitar comidas gostosas era coisa de quem não era esperto, que meus avós eram legais, meus pais chatos! Que eu poderia ser heroína, que eu poderia voar que as nuvens eram de algodão, que chorar devolveria o que eu quero, que minha imaginação duraria sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário