sábado, 13 de novembro de 2010

Mas, é tarde demais.

Lágrimas não param de cair no telefone à menina liga.
ELA: Oi.
ELE: Quem é?
ELA: Sou eu, a felicidade iludida.
ELE: O que é que você quer?
ELA: Dizer que te amo.
ELE: OUTRA VEZ? Eu já ouvi isso 15 vezes. Não se cansa?
ELA: Quem ama não cansa...
ELE: Mas eu canso... Eu não te amo!
ELA: O que?
ELE: É isso mesmo, eu iludo e por isso me chamo ilusão do amor.
Neste exato momento uma lágrima corre na minha face...
ELA: Como pode dizer isso?
ELE: Dizendo que não te amo. Não devo nada a ninguém
ELA: Não deve nada?
ELE: É claro que não.
ELA: Deve sim. O seu amor.
ELE: Que amor?
ELA: Você me faz voar tão alto e agora diz que não me ama?
ELE: Deve estar ficando louca!
E as lágrimas insistentemente não paravam de cair...
ELA: Estou mesmo louca...acreditei em você!
ELE: Você sabia que era só amizade, não?
ELA: Claro que não... Você disse tantas coisas... E ainda me deu um beijo!
ELE: Um beijo? Aquilo nem foi beijo...
ELA: Não foi? Então o que foi.. ?
ELE: Ok... Foi um beijo sem significado.
ELA: Ah e um beijo sem significado deixa de ser beijo?
ELE: Não.
ELA: Quer dizer, eu não significo nada pra você?
ELE: Significa.
ELA: O que?
ELE: Uma grande conta de telefone no final do mês Agora vou desligar.
ELA: NÃO, por favor!
ELE: Por quê?
ELA: Porque eu te amo...
ELE: Qual o valor que o seu amor me vai dar?
ELA: Felicidade.
ELE: Eu quero coisas materiais...
ELA: Eu vou ser sua...
ELE: Isso não vale... Quanto é que você vale?
ELA: Porque esta pergunta?
ELE: Se eu enjoar de você posso te empenhar?
ELA: O que é que eu fiz para me tratar assim?
ELE: Amar-me! Agora vou desligar!
ELA: NÃO, por favor!!!
ELE: Quer parar com isso? ESTOU FARTO!
ELA: Não... Por favor, não desligue.
ELE: ...
ELA: Fala comigo...
ELE: ...
ELA: Pelo amor de Deus, diz que me ama!
ELE: OUVE... Eu já estou farto de você. Agora vê se me esquece.
ELA: Eu prefiro morrer a te esquecer.
ELE: Ah é? Então se mata logo!
(Ele desliga.)
ELA: Não... Por favor... Não me faça isso, eu te amo.
ALGUNS DIAS DEPOIS...

- Do que morreu essa menina? - Perguntam
- De intoxicação. - Responde a enfermeira.
- Coitada... Ela tinha algum problema? - Perguntam
- Sim, sofria de amor... - Responde a enfermeira.

E então, no dia do funeral o rapaz de que a menina gostava apareceu no local prestando a sua ultima homenagem e lançou uma rosa vermelha e disse baixinho:
- Eu te amo!

Mas, é tarde demais.

Jonathas Campos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário