quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

E no sonho que tive, sonhei com um grande amor, aquele que não faz seu coração parar no primeiro olhar, e sim acelerar a ponto de parecer que não irá mais caber em seu corpo. Um amor que faz você se sentir especial, mas no fundo não tão boa o suficiente para ele.
Esse mesmo amor é aquele eu você tem medo e insegurança de perdê-lo, pois você não se enxerga sem ele. Amor que te mata de saudade. Que faz você se sentir sufocada e presa a uma agonia terrível só pelo fato de não se verem a alguns instantes.
Aquele amor que te faz possessiva. Você não quer o dividir com ninguém. Isso porque, dividindo, você terá que abrir mão dos instantes que passa ao lado dele, afinal, por mais tempo que fiquem juntos, nunca será o suficiente.
Um amor que você sente raiva nos momentos de briga, mas essa raiva nunca predomina o amor. Basta você lembrar-se do sorriso dele, que parece que involuntariamente você sorri.
Um grande amor é aquele que faz nossos olhos se encherem de água só por cogitar um adeus, que seqüestra nossos pensamentos. Um amor não pode ser perfeito, mas aos nossos olhos ele não apresenta nenhum defeito. Ele é lindo do seu próprio jeito e ninguém se compara a ele.
Um grande amor é aquele que se o machucam você se sente ferida por tabela. P defende com toda a garra, pois ninguém no mundo parece ser mais importante. Um grande amor que te faz ir contra a família, amigos, colegas... Você enfrenta o inferno por ele, pois ele é o único que te faz chegar ao céu.
O amor é uma coisa única que sentimos. Uma mistura de aperto sufoco alegria, tristeza e forte pulsação. Não sei quantos grandes amores podemos ter na vida. Não sei se podem ser substituídos. Não sei se são eternos somente enquanto duram. Mas, a sensação que esse sentimento faz sentir é única. E você sempre a guardará em seu coração, como uma ilusão, nada mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário