sábado, 18 de outubro de 2014

“Ei menina. Você mesma. Que mantêm a luz do quarto acessa para não se sentir sozinha. Hoje, mais uma vez, ele respondeu seu “oi” com um “adeus.” Eu sei. Depois dessa resposta, fica difícil acordar. Você não consegue sair da cama. Fica presa entre a dúvida e a culpa. Começa a engasgar com as próprias lágrimas.
Levante, levante, levante. Chega de borrar o rímel, por alguém que não sabe amar ninguém. Levante, levante, levante. Coloque um salto, e um sorriso no rosto. Você não pode deixar o seu destino na mão do outro.
Chega desses jogos bobos. Onde o “eu te amo” soa tão falso, que deixa o seu coração vazio e em pedaços. Ele não vai mudar. Ele só quer mais uma na cama. É isso que você quer ser? Uma no meio de tantas? Não, né.
Pegue suas coisas e vá embora. Eu não sei se você sabe. Então, eu vou te dizer. A verdade é dura. Mas é a mentira, que machuca.
Levante, levante, levante. Quando eu te conheci, você era leve e alegre. Onde está aquela garota, que sorria pra si mesma? Aquela menina, que a razão buscava maneiras e o coração as estrelas. Eu quero ela de volta.
Chegue mais perto para eu beijar suas lágrimas e dizer baixinho no seu ouvido:
“Vai ficar tudo bem.”
Eu poderia ficar aqui pra sempre. Abraçando você desse jeito. Mas eu e você, precisamos levantar e seguir em frente. Antes de ir, gostaria de escrever um recado na parede do seu quarto:
Você não pode deixar, um homem qualquer destruir quem você é.
Levante, levante, levante. E encontre um homem, que te faça sentir, mesmo no escuro, que você não está sozinha neste mundo.”


Ique Carvalho.

Dizer eu-te-amo é pouco.

"Dizer eu-te-amo é pouco. Pouco demais. Ela não vai acreditar. Ela é até fã das palavras, mas vai precisar de mais. Eu-te-amo é ir lavar a louça esta noite porque ela fez as unhas e não quer estragá-las – eu-te-amo é reparar que ela fez as unhas, também.
Eu-te-amo é ficar esperando-a por horas enquanto ela decide o que fazer com o cabelo dentro do salão. Alisar ou não? Pintar ou não? Ela sempre sabe, mas diz não saber. Muita das vezes, irá te convidar para passar o dia todo juntos e vai te deixar num chá de cadeira ou com as pernas doendo de tanto passear pelo shopping procurando a tal blusa que ela viu com uma amiga de uma amiga na festa passada.
Não ligue e vá.
Ela quer a tua companhia até nas coisas mais bestas.
Ela não é tímida, mas vai odiar falar ao telefone e pedir pizza. Mas, mesmo assim, irá ficar palpitando e tentando descobrir o que o vendedor está te oferecendo e ainda gritará sem-azeitona só pra você não esquecer.
Ela não é mal agradecida, mas é exigente. Muito provável numa discussão, ela irá dizer que você não faz nada para ela e esquecerá as surpresas que fez na última semana – ou ontem. Ela quer sempre mais de ti.
Acostume-se.
Faça mais. Faça mais por você e por ela. Ela fará mais, também. Diga mais eu-te-amo com abraços apertados só porque você estava morrendo de saudades dela após duas horas longe. E também se declare em silêncio só de olhá-la nos olhos como quem grita declarações melosas.
Diga mais eu-te-amo quando você calar o ciúme besta, a insegurança imatura e essas besteiras que estragam o relacionamento. Diga mais eu-te-amo ao sair de madrugada só pra comprar algum remédio pra ela – seja para dor de cabeça (ela sempre tem dor de cabeça), cólicas ou xaropes para gripe. Ela espirra bonito feito um bebê, mas cabe um cuidado.
Falta dizer mais eu-te-amo com atos, meu velho. Ela já está cansada de ler por aqui, pelos textos do Gabito ou pelas canções do Chico.
Ela quer eu-te-amo com toques, exemplos e carinhos.
Então, se for amor mesmo, cale-se nela e aprenda que amar vai muito além dessas letrinhas fáceis e decoradas."
Hugo Rodrigues.

Sexo é muito mais que só sexo.

"Não é se deitar em uma cama apertada, tirar a roupa, e partir para o ataque. Sexo é saber escolher o olhar certo, e desferi-lo em direção ao outro. É colocar no toque das suas mãos, a imensidão do seu desejo. É respirar forte, para não soltar um grito de prazer. Sexo é puxão de cabelo, é jogar na parede, é morder o pescoço. Sexo é olhos nos olhos, sussurrar no ouvido, e encaixar com tesão. Sexo é beijar com vontade de arrancar os lábios do outro, segurar pela cintura, e se atracar em algum canto. Qualquer canto. Todos os cantos.

Sexo é começar devagar, esperar que o tesão aumente, e só explodir quando não tiver mais como. Sexo é deixar que suas vontades tomem conta do seu corpo. É se guiar pelo cheiro, pelo toque, pelos lábios do outro. Sexo é colidir com uma galáxia em explosão. Sexo é se permitir ser vulnerável perto de outra pessoa por alguns minutos. Horas. Por que não, sempre. Sexo é se perder nas curvas do outro. Homem e mulher. Homem e homem. Mulher e mulher. Sexo não tem regras. Só a diversão.

Sexo é se entregar de corpo, alma, e tesão. É transar até o dia amanhecer, e adormecer nos braços da outra pessoa. E por um momento ter a certeza que vocês estão sozinhos no mundo…"

Isabela Freitas.
"Amar o perdido
Deixa confundido
Este coração.

Nada pode o olvido
Contra o sem sentido
Apelo do Não.

As coisas tangíveis
Tornam-se insensíveis
à palma da mão.

Mas as coisas findas,
Muito mais que lindas,
Essas ficarão."

Carlos Drummond de Andrade.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

"É que estou a fim de juntar as escovas de dentes, sabe? Estou querendo ter alguém do meu lado para eu jogar minha perna por cima quando for dormir. E não há ninguém neste mundo além de você que me faz sorrir como um bobo, mesmo em dias nublados. Eu posso esquecer todas as minhas antigas namoradas. Posso desistir de tentar conhecer o Carnaval de Ouro Preto com todas aquelas universitárias disponíveis. Eu posso te ensinar a jogar vídeo game. Ou posso tentar diminuir a quantidade de jogos.
Só ficarei bêbado ao teu lado – eu espero que você se alegre com isso. E por favor, não tire fotos. Eu não tenho como largar o meu time de coração, mas posso assistir aos jogos com você do meu lado. E te darei beijos profundos a cada gol. E se meu time perder, eu te abraço forte e ouço você dizendo que eu não estou ganhando nada, enquanto os jogadores estão ricos e nem ligam para o time. E te beijarei novamente.
Eu posso me acostumar a andar de mãos dadas e nem ligar para tantos e tantos olhares que terão sobre você. Eu posso tentar não me atrasar tanto. Mas prometo avisar quando isso for acontecer. Eu posso me vestir bem quando for visitar tua família. Prometo não ficar bêbado perto deles. Eu posso diminuir o uso de entorpecentes, também.
Prometo presentes inesperados. Prometo jantares surpresas. Prometo me esforçar a lembrar sempre de abaixar a tampa da privada. Mas não prometo não rir se eu esquecer e você cair lá dentro. Ok, eu te ajudarei a levantar também.
Prometo miojos de madrugadas quando você estiver morrendo de fome. E chocolates extras quando estiver de TPM. Prometo serenatas e cantorias românticas ao pé do ouvido – não prometo afinação ou talento com instrumentos musicais. Prometo te levar em todas as atrações culturais de nosso agrado. Prometo dançar com você, mesmo sendo um péssimo aspirante a Fred Astaire. Posso te trazer flores, vez em quando. Mas já vou logo dizendo que acho um desperdício presentear alguém com flores. Acho melhor, termos um jardim e cuidar dele sempre.
Prometo deixar você escolher a programação da TV em dias que não tem futebol. Eu posso te fazer massagens sempre que você tiver um dia difícil. Mas espero que isso seja um acordo recíproco. Prometo não atrapalhar seus estudos e até ler teus textos de faculdade para te ajudar nas matérias – não prometo gostar dos assuntos estudados.
Prometo fidelidade. E isso inclui não olhar as mulheres que passam; não puxar assuntos que possam parecer flertes; e te deixar cientes de todas as mulheres que possam estar afim de mim. Não prometo não rir da sua cara quando você estiver com ciúmes. Prometo te beijar nesses momentos. Prometo te beijar em qualquer momento. Não prometo lembrar de datas especiais. Mas prometo tornar cada dia do calendário, um dia especial para nós dois."
Hugo Rodrigues.
"É involuntário, quando me distraio por cinco minutos já estou ao seu lado. Quero dizer, estou pensando em estar ao seu lado. Pensando no que diria olhando no fundo dos seus olhos amendoados, e como seria minha reação diante de suas respostas. Ah, suas respostas. Por que você tem que ser sempre aquele que diz entrelinhas? Aliás, nunca entendi muito bem o que quer dizer entrelinhas. Entre as linhas. O que tem entre as linhas senão um espaço em branco? Não é mesmo? Eu só consigo enxergar o que está ali na minha frente, e de preferência que esteja em um outdoor cheio de cores e luzes que é para não correr o risco de passar batido. Mas você não faz isso e parece que é só para me irritar. Você adora me ver irritada. Tudo bem, deve ser mesmo engraçado ver alguém mordendo os lábios ao mesmo tempo em que dá olhares apreensivos para os lados. Vai, pode rir. Eu adoro o som da sua gargalhada! Por outro lado odeio o fato de que você me desmonta como uma casinha de lego todas às vezes em que sorri…
Você é o silêncio, e eu toda palavras. Você fala baixinho enquanto eu sou aquela que grita. Você diz tudo quando não diz nada, e eu, bem, digo tudo porque não consigo me conter em pensamentos. Sou um livro aberto, daqueles que convidam o leitor a ficar mais um pouquinho para ler a próxima página. Você é um diário com cadeado trancado dentro de um baú. E me incomoda muito o fato de que eu ainda não tenha achado a chave, ou descoberto a senha. 
Eu quero dar uma volta ao mundo em um dia ao seu lado, mas você diz que temos todo o tempo do mundo para isso, e sutilmente, acaricia meus cabelos. Eu gosto de planejar o futuro minuciosamente, você sorri despreocupado e diz que não se importa muito com isso. Por favor, se importe. Por amor, fique. Eu me descabelo só de pensar em te perder, você me olha com ternura e me dá a segurança que tanto preciso. Se eu pudesse pegar para mim o infinito do universo, eu te dava. Sou toda exageros. Mas você daria um jeitinho de me mostrar que o que vale mesmo é o que tem dentro de nós. E que isso é maior que qualquer infinito. Tenho vontade de dizer que te amo toda vez que te vejo, e você não precisa dizer que ama, porque quando vejo a ternura em seus olhos, eu simplesmente sei…
Quando penso em você, penso em branco. Uma página em branco que espera desesperadamente o seu encontro com a tinta capaz de escrever histórias incríveis. A nossa história. Quando penso em você, penso em escrever um livro. Dois. Três. Contando sobre histórias de amor que nunca aconteceram na realidade, mas que na minha imaginação, sempre vão existir.
Me perdoe por esse texto enorme e por ser sempre ansiosa. Só de pensar em como você vai reagir ao ler esse texto, meu estômago se revira todinho. Por favor, dê aquele sorriso, me dê as mãos e vamos viver a 300 km por hora. Claro, usando cinto de segurança."
Isabela Freitas.

Namora comigo?

"Quer namorar comigo? Namorar de verdade. Todo mundo vai saber. Todo mundo vai ver. Namorar de verdade. Ir no cinema de mão dada, ajudar a sogra a fazer as compras no mercado, pedir pra você ir lá em casa botar água e comida pros gatos quando eu estiver em São Paulo. Namorar de verdade. Mandar bilhetinho, carta, flor, telegrama, mandar beijo por foto, tudo de mais ridículo publicamente que um namoro tem. Namorar das pessoas não aguentarem mais de tanto que eu falaria em você. Quer?
Eu prometo rir pras suas milhões de fotos com a Polaroid, prometo não ficar irritado quando você não conseguir me dar instruções simples de como chegar em um lugar. Prometo nunca mais pedir pra ler suas coisas antigas, nem reclamar que você sempre bate a cabeça na porta do carro antes de sair, nem que você nunca consegue decidir onde a gente vai comer – e quando eu decido não tem nada pra você comer lá, porque lugar nenhum tem nada para um vegetariano comer. Prometo não te ligar de manhã cedo, não ficar mandando você não usar o celular dentro do ônibus nem reclamar que você tá se arrumando há uma hora e meia – e ainda nem tomou banho.
Namora comigo? Faz coisas idiotas de namorados comigo, como entrar juntos na cabine de foto, sair correndo no meio da rua e se abraçar ou ligar pro seu trabalho e pedir pra falar com você só pra falar que eu te amo. Quer namorar comigo? Namorar de já escolher nome dos filhos, raça dos cachorros, se eles vão ser Fluminense ou Botafogo (tem maluco pra tudo). Namorar de querer saber das vergonhas de adolescente, de jogar videogame com o irmão e de botar a sua foto como papel de parede do meu celular, e acabar com a bateria dele quando eu tiver com saudade só de ficar olhando pra você.
Eu prometo que a gente vai ser como a gente queria ser lá atrás, nos cafés da manhã no posto de gasolina. Prometo que vai ser tudo exatamente como a gente planejava, timtim por timtim. Eu prometo que faço massagem, mexo no seu cabelo e faço carinho quando você tiver com sono. Eu prometo que vou ser uma pessoa diferente, que vou ser a pessoa que você merece que eu seja, que você merece ter ao seu lado. Prometo que não vou mais cometer os erros que eu já cometi – e que você já me perdoou inúmeras vezes. Prometo que vou fazer você se sentir a mulher mais amada do mundo.
Namora comigo?"

Léo Luz.