quarta-feira, 27 de abril de 2016


 Posso te amar às seis da tarde, mas não quero, quero às nove. Você tratou de me entregar às cinco a sua parte, para adiantar o processo do amor. O amor não se adianta. Não adianta. A gente nunca amou no mesmo horário, né? Teu relógio é um inferno. Tem que amar de manhã cedo, com os olhos entreabertos. É difícil amar após o almoço. Nunca amei na madrugada, e você? Só senti saudade, mas saudade não tem hora e vergonha na cara, vem e vai quando quer. Vamos marcar então às sete, o começo da noite, o fim da tarde. Mas vou me atrasar. Estou atrasado. Desisti. Já é tarde demais pra nós dois.

Bruno Fontes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário