sexta-feira, 17 de junho de 2016

P.S. Obrigado.



Para mim, nunca existiu "um jogo", entende? Era simplesmente eu e você. Nada mais. Infelizmente, você nunca conseguiu entender isso. Para você, tudo era "joguinho".

E foi nesse teu "jogo" que você acabou me perdendo de vez.


E sim, eu te odiei. Te odiei desde os teus lindos olhos aos dedinhos dos pés. Te odiei porque te amei mais do que esperei, muito mais do que cogitei conseguir.

E, olha, não foi nada fácil me convencer que, de fato, não era para ser você. Não foi nada fácil te deixar partir. Afinal, desde o primeiro dia em que te vi, eu tive a certeza que seria você aquela que durante muito tempo me faria sorrir.

Mas não foi. E a gente se afastou. E mesmo todo o amor que eu sentia não foi suficiente para nos manter juntos. Afinal, é preciso que haja reciprocidade. E de eu tanto puxar sozinho, um dos lados da corda, uma hora, teria que arrebentar. E foi o que aconteceu.

E, bom, esse foi um período bem estranho na minha vida, pois tudo pareceu estar passando um pouco mais devagar. E por mais que eu tentasse segurar a barra, por mais que eu tentasse me convencer de que eu realmente te odiava, eu sabia que na verdade ainda te amava.

Eu te amei a ponto de desistir de sonhos meus para sonhar os teus. Na época, eu não percebi o quão errado isso era.  Hoje em dia, olhando para trás, lá no fundo, agradeço a Deus por ter te tirado de perto de mim. Porque, talvez, a longo prazo, você teria atrapalhado muito mais a minha vida.

E para quem já tem uma vida tão cheia de desordem como a minha, não precisa de mais um pouco, não. Obrigado por tudo. Sério mesmo. Até mesmo pelas discussões idiotas que tivemos. Tudo, tudo mesmo. Muito obrigado. Eu cresci por causa da sua imaturidade. Obrigado por me fazer enxergar que eu precisava de alguém melhor ao meu lado.

No fim das contas, tudo serviu de aprendizado.

Acredito que foi melhor assim.




P.S. Obrigado por sair da minha vida.









Allison Christian Freitas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário